São José, rogai por nós!

Hoje nos unimos em oração, e louvamos a Deus pela vida de um grande homem. Um homem que soube, antes de tudo, ouvir a Deus. Estamos falando de São José!

José foi designado por Deus para se casar com a jovem Maria, passando a morar com ela, numa localidade da Galileia. Segundo a Bíblia, era carpinteiro de profissão, ofício que teria ensinado a seu filho.

O lugar que José ocupa no Novo Testamento é discreto: está totalmente em função de Cristo e não por si mesmo.

José é um homem silencioso, e pouco aparece na Bíblia. Não se sabe a data aproximada de sua morte, mas ela é presumida como anterior ao início da vida pública de Jesus. Quando este tinha doze anos, de acordo com o Evangelho de Lucas (cap. 2), José ainda era vivo, sendo que em todos os anos a família ia anualmente a Jerusalém para a festa da Páscoa. Na Páscoa desse ano, “o menino Jesus permaneceu em Jerusalém sem que seus pais soubessem”, os quais “passaram a procurá-lo entre os parentes e os conhecidos” e, por fim, o reencontraram no Templo da Cidade Santa “assentado entre os mestres, ouvindo-os e interrogando-os, os quais se admiravam de sua inteligência e de suas respostas”. “Logo que seus pais o viram, ficaram maravilhados” e Maria, sua mãe, diz-lhe: “Teu pai e eu, aflitos, estamos à tua procura”, sendo essa sua última referência a José estando vivo.

O Evangelho de Lucas atesta que o imperador Augusto ordenou um recenseamento em todo o Império Romano, que na época incluía toda a região, e a jovem Maria e seu esposo José se dirigiram a Belém, por ambos serem da Tribo de Judá e descendentes de Davi. Nessa época, reinava na Judeia Herodes, o Grande, monarca manipulado pelos romanos, célebre pela crueldade.

O texto do Evangelho deixa claro que José era o pai legal e certo de Jesus, pelo que (Mateus 1) é através de José que é referida a ascendência de Jesus até David e Abraão, embora o texto deixe inequívoco que ele não foi o pai biológico de Jesus. José, quando encontrou Maria grávida “sem antes terem coabitado”, “sendo justo e não a querendo infamar, resolveu deixá-la secretamente”, quando na época a lei bíblica vigente (Deuteronômio 22) prescrevia a lapidação (morte por pedradas) das adúlteras. Eis que, então, enquanto José dormia, apareceu-lhe, em sonho, um anjo que pede-lhe que não tema em receber Maria como sua esposa, “pois o que nela foi gerado é do Espírito Santo”.

Nessa época, Maria, sua esposa, deu à luz Jesus numa manjedoura, pois não encontraram outro local para se hospedarem em Belém. Devido a tirania do rei Herodes e de sua fúria em querer matar o menino Jesus por ter ouvido que havia em Belém nascido o “rei dos Judeus”, a Bíblia, no Evangelho de Mateus, refere que Deus, através de um anjo e igualmente em sonho, orientou José para que fugissem para o Egito. Assim, recém nascido, Jesus já era um exilado, juntamente com José e Maria.

Posteriormente, tendo Herodes morrido, um anjo de Deus, igualmente em sonho, aparece a José e orienta-o para que regressem à terra de Israel “porque já morreram os que atentavam contra a vida do menino”. Ao regressar, tendo ouvido que Arquelau (Herodes Arquelau) reinava na Judeia no lugar de seu pai Herodes, temeu ir para lá e, por mais uma vez, em sonho, tendo sido prevenido por divina advertência, retirou-se para a região da Galileia, voltando a família a residir em Nazaré.

De tudo isto, fica clara a entrega de José aos planos de Deus.

Um homem que, diante daquela sociedade machista, aceita aquela menina como esposa, mesmo ela estando grávida, apenas por que era, verdadeiramente, um homem de Deus!

Foi ele que ensinou a Jesus não apenas um ofício, mas também, com toda certeza, as orações e tradições judaicas.

São José é um dos santos mais populares, tendo sido proclamado “protetor da Igreja Católica Romana”; por seu ofício, “padroeiro dos trabalhadores”; e, pela fidelidade a sua esposa, como “padroeiro das famílias”, sendo também padroeiro de muitas igrejas e lugares do mundo.

Tenhamos pois, nós, homens, em São José, um exemplo de oração, entrega, e escuta à Palavra de Deus. Doando-nos por nossas esposas, nossos filhos, nossa família!

Oração a São José

Oh! Glorioso São José, a quem foi dado o poder de tomar possíveis as coisas humanamente impossíveis, vinde em nosso auxílio nas dificuldades em que nos achamos.

Tomai sob a vossa proteção a causa que vos confiamos, para que tenha uma solução favorável.

Oh! Pai muito amado, em vós depositamos toda nossa confiança.

Que ninguém possa jamais dizer que vos invocamos em vão.

Já que tudo podeis junto a Jesus e Maria, mostrai-nos que vossa bondade é igual ao vosso poder.

São José, a quem Deus confiou o cuidado da mais santa família que jamais houve, sede o pai e protetor da nossa e impetrai-nos a graça de vivermos e morrermos no amor de Jesus e Maria.

São José do Perpétuo Socorro, rogai por nós, que recorremos a vós.

Anúncios

Sobre Alex C. Vasconcelos

Casado, 32 anos, pai de uma princesa, Advogado, Acólito na Paróquia do Divino Espírito Santo em Maceió/AL.
Esse post foi publicado em Devoção, Formação, Santo do dia e marcado , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s