As piores mentiras protestantes contra os católicos…

Artigo 183 - Verdades e mentiras

Circula na internet em vários sites protestantes, uma lista mentirosa sobre as principais doutrinas Católicas. Protestantes mentem e alteram os fatos para atacar a única Igreja de Cristo. Muitas pessoas tem nos questionado sobre esta lista, e agora fizemos um pequeno resumo das principais, todas elas já foram refutadas pela nossa equipe a muito tempo, com citações dos Cristãos Primitivos e de documentos, muito anteriores as datas citadas por eles aqui, acompanham:

1. Orações pelos mortos começaram em cerca de 300 d.C.

A oração pelos mortos no purgatório está no livro 2Macabeus 12,43-46, e Lutero arrancou este livro das bíblias protestantes. Este consta nas Bíblias Ortodoxas e de Gutemberg, impressa quase um século antes da de Lutero.

Tertuliano (†220) – Bispo de Cartago:

“A esposa roga pela alma de seu esposo e pede para ele refrigério, e que volte a reunir-se com ele na ressurreição; oferece sufrágio todos os dias aniversários de sua morte”. (De monogamia, 10).

“Durante a morte e o sepultamento de um fiel, este fora beneficiado com a oração do sacerdote da Igreja”. ( De anima 51; PR, ibidem)

São Cipriano (†258), bispo de Cartago, refere-se à oferta do sacrifício eucarístico em sufrágio dos defuntos como costume recebido da herança dos bispos seus antecessores (cf. epist. 1,2). Nas suas epístolas é comum encontrar a expressão: “oferecer o sacrifício por alguém ou por ocasião dos funerais de alguém”.

Mais encontra-se no link: http://mentiras-evanglicas-e-outras.blogspot.com.br/2011/07/310-comecam-as-rezas-pelos-mortos.html

2. Prática do sinal da cruz, a partir de 300.

O que vocês têm contra o sinal da cruz de nosso Senhor? Acaso são inimigos da Cruz de Cristo? É claro que isso é uma baita mentira!

Já dizia Hipólito de Roma, no século II: “Durante a tentação, fazei piedosamente na fronte, o sinal da cruz, pois este é o sinal da Paixão reconhecidamente provado contra o demônio, desde que feito com fé e não para vos exibir diante dos homens, servindo eficazmente como um escudo: o Adversário, vendo quão grande é a força que sai do coração do homem que serve o Verbo (pois mostra o sinal interior do Verbo projetado no exterior), fugirá imediatamente, repelido pelo Espírito que está no homem. Era isso que o profeta Moisés representava através do cordeiro morto na Páscoa e ensinava ao aspergir o sangue nos batentes das portas: simbolizava a fé que agora se encontra em nós, ou seja, a fé no Cordeiro perfeito. Ora, persignando-nos na fronte e nos olhos com a mão, afastamos tudo aquilo que tenta nos destruir”. (Mártir – nasceu na segunda metade do século II – Parte III – Outros Temas e Práticas).

3. Utilização de velas de cera, a partir de 320.

O uso de velas é bem anterior ao Cristianismo. Alguns sites nos ensinam que o uso de vela (ou coisa parecida) começou há mais de 50.000 anos atrás. Para que não digam que este é um costume importado do paganismo, informo que o uso de velas (ou coisa parecida) está registrado tanto no Antigo como no Novo Testamento:

“Farás um candelabro de ouro puro… Far-lhe-ás também sete lâmpadas. As lâmpadas serão elevadas de tal modo que alumiem defronte dele”. (Ex 25, 31.37)

“O Senhor se refere à luz que brilha sobre um candeeiro”. (Mt 5, 15)

“Cristo aparece entre candelabros”. (Ap 1, 13; 2, 1).

APROVEITEM E CONHEÇAM ALGUMAS IGREJAS EVANGÉLICA QUE FAZEM USO DE VELAS NO LINK: http://caiafarsa.wordpress.com/320-comecam-a-usar-velas-nas-igrejas/

4. Primeiro decreto dominical, promulgado pelo imperador romano Constantino, em 7/3/321.

Recomendamos este link sobre o domingo ser o dia do Senhor, e não o sábado: http://www.youtube.com/watch?v=Yo4kGF38T4w

Quanto a data de Constantino ter feito isso, NÃO CONSTA em nenhum documento. Isso não existe! Foi inventado para caluniar a Igreja de Cristo.

5. Mudança do sábado para o domingo, como dia de repouso, efetuada pelo Concílio de Laodicéia – 364.

Idem: http://www.youtube.com/watch?v=Yo4kGF38T4w

6. Veneração dos anjos e de santos, e utilização de imagens – em 370.

Calunia desmascarada em: http://caiafarsa.wordpress.com/ano-370-%E2%80%93-comeca-a-veneracao-dos-santos/

7. Começo da exaltação de Maria e uso da expressão Mãe de Deus, a partir do Concílio de Éfeso – 431.

Prova bíblica: “Donde a mim esta dita de que a MÃE DE MEU SENHOR venha ter comigo?” (Lc 1, 43).

E as escrituras do antigo testamento também trazem esta confirmação de que o  filho da virgem seria chamado pelo nome de DEUS conosco: “Por isso, o próprio Senhor vos dará um sinal: uma virgem conceberá e dará à luz um filho, e o chamará Deus Conosco”. (Is 7,14)

Prova histórica da mentira:

TESTEMUNHO DOS “PAIS DA IGREJA”

IRENEU – “A Virgem Maria… sendo obediente à sua palavra, recebeu do anjo a boa nova de que ela daria à luz Deus”. (Santo Irineu, Bispo de Lion, Discípulo de Policarpo, 180 d.C. – Contra Heresias);

SANTO ALEXANDRE – “Jesus Cristo… teve um corpo gerado, não em aparência, mas verdadeiramente, derivado da Mãe de Deus”. (Santo Alexandre, morto em 328 – antes do concílio de Éfeso de 431);

SANTO EFRÉM – “A obra prima da Sabedoria de Deus tornou-se a Mãe de Deus”. (Santo Efrém que viveu na Síria em 373, antes do concílio de Éfeso).

8. Sacerdotes começaram a se vestir de forma distinta dos leigos – em 500.

É mesmo? E qual o problema nisso? Acaso o sacerdote não é diferente mesmo? Pois é ele quem oferece o sacrifício a Deus em toda Santa Missa. Deve se vestir diferente. Acaso o herege pode me mostrar onde diz na bíblia que o “paxtô” deve vestir terninho e falar com voz ritmada?

9. Prática da extrema-unção – 526.

PROVA BÍBLICA:

“Está alguém enfermo? Chame os sacerdotes da Igreja, e estes façam oração sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor”. (São Tiago 5,14) 

DOCUMENTOS HISTÓRICOS:

1. 215 d.C. – SANTO HIPÓLITO DE ROMA – “Ó Deus, que santificastes este óleo, concedendo a todos os que são ungidos e por ele recebem a santificação, como quando ungistes os reis, sacerdotes e profetas, assim concedei que ele possa dar fortaliza a todos os que dele se valem e saúde a todos os que o usam”. (Tradição Apostólica 5,2; 215 dC);

2. 244 d.C. – ORÍGENES DE ALEXANDRIA – “Além disso, aqueles que estão também com setenta anos, se bem que arduamente e sofridamente… Nesse caso deve ser realizado o que também o Apóstolo Tiago diz: ‘Se, pois, alguém esté enfermo, que chama o presbítero da Igreja para impor as mãos sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor; e a oração da fé salvará o enfermo, e se ele está em pecados, esses lhe seão perdoados'” (Homilia sobre os Levíticos 2,4);

3. 341 d.C. – SANTO ATANÁSIO DE ALEXANDRIA (295-373) – “O enfermo considerava uma calamidade mais terrível do que a própria doença… (se permitisse) que as mãos dos arianos fossem colocadas sobre sua cabeça” (Epístola Encíclica).

10. Estabelecimento da doutrina do purgatório, por Gregório I – em 593.

No link: http://caiafarsa.wordpress.com/purgatorio/

11. Orações dirigidas a Maria, santos mortos e anjos – em 600.

Desmascarada no link: http://caiafarsa.wordpress.com/intercessao-dos-santos/

12. Título de Papa ou Bispo Universal, dado a Bonifácio III, pelo Imperador Focas– em 607.

Escreveu São Cipriano (246-249): “Estar em comunhão com o Papa é estar em comunhão com a Igreja Católica”. (Epist.55, n.1, Hartel, 614).

Mais provas no link: http://caiafarsa.wordpress.com/papa-seculo-v-ninguem-supunha-pedro-como-papa/

13. Prática de beijar o pé do papa teve início com o papa Constantino em 709.

Pode me dizer onde está na bíblia também a pratica de comprar lenço suado do pastor?

Essa prática nada tem de maldade, apenas sinal de respeito com nosso pastor. Algo que você poderia fazer com sua mãe, ou seu Pai. Pura calunia odiosa dos hereges.

Beijar os pés significa amor e muita humildade. Foi desta forma que eu, participando de uma cerimônia do lava-pés, tive meus pés lavados por um dos mais humildes sacerdotes que já conheci que era o padre Bernardo, da Paróquia Nossa Senhora Aparecida de Arapongas. Ele não somente lavou-me os pés, mas também os beijou.

Não consta dos evangelhos que Cristo tenha beijado os pés dos apóstolos, porém esta prática não está descartada na Nova Aliança:

“… Não me deste o ósculo; mas esta, desde que entrou, não cessou de beijar-me os pés. (Lc 7,45)”. (Lc 7,38);

“Nesse momento, Jesus apresentou-se diante delas e disse-lhes: Salve! Aproximaram-se elas e, prostradas diante dele, beijaram-lhe os pés.” (Mt 28,9).

14. Autorizado o culto à cruz, imagens e relíquias – em 786.

Resposta sobre imagens e idolatria: http://caiafarsa.wordpress.com/respostas-sobre-imagens-e-idolatria/

Imagens de esculturas protestantes: http://caiafarsa.wordpress.com/imagens-em-templos-prostestantes/

Relíquias, como entender: http://cleofas.com.br/as-reliquias-como-entender-eb-parte-1/

Relíquias parte 2: http://cleofas.com.br/o-culto-das-reliquias-parte-2/

15. Água benta com um pouco de sal e abençoada por um sacerdote – em 850.

A função purificadora da água é marcante. Na Bíblia ela aparece em vários acontecimentos na vida das pessoas. E até como poder de Deus na cura de várias enfermidades (Jo 9,7).

A água lembra o próprio Cristo, que é a água viva (Jo 4,10). Para você entender a função da água benta confira em: Números 5,17-18; Números 8, 5-7; Números 19,18 e Ezequiel 36,25.

16. Primeira canonização de santos mortos, feita pelo papa João XV – em 995.

A própria Escritura dá testemunho de que Abraão foi considerado justo pelos apóstolos (cf. Rm 4,3-9; Gl 3,9; Hb 6,15; Tg 2,23). Este reconhecimento de que Abraão estava no céu com Deus é um exemplo de canonização na própria Escritura e já na era apostólica.

Outro exemplo que podemos citar na própria Escritura é a canonização de Estevão. Diz a Escritura que era um homem cheio do Espírito Santo (cf. At 6,8). Quando foi martirizado em nome da Fé em Cristo, viu a Glória do Cristo e pediu ao Senhor que recebesse o seu espírito (cf. At 7,55-59). Será que Estevão não foi para o céu? Claro que sim! E foi considerado santo pelo próprio apóstolo Paulo (cf. At 22,20), que assistiu a pregação de Estevão e corroborou com a sua morte. E o bom ladrão que reconheceu Cristo como seu Salvador e que o próprio Senhor prometeu levá-lo ao paraíso (Lc 23,43), por acaso não é outro exemplo de canonização feita pela própria Escritura?

A Igreja desde os primeiros séculos reconhecia os mártires como santos (a exemplo de Estevão, considerado o primeiro mártir da Igreja). Ser um mártir da fé era um critério que não deixava dúvidas se uma pessoa devia ser considerada santa, isto é, um modelo na fé, um herói em Cristo e que estava no céu.

17. Jejum às sextas-feiras, durante a Quaresma – em 998.

Mais uma ignorância protestante, pois o jejum é bíblico.

Está entre as ordens dadas a Deus através de Moisés: “No dia dez desse sétimo mês, tereis uma santa assembléia, um jejum e a suspensão de todo o trabalho servil” (Nm 29,7).

E no novo Testamento o próprio Jesus jejuou: “Jejuou quarenta dias e quarenta noites”(Mt 4,2) e recomendou: “Dias virão em que lhes será tirado o esposo. Então eles jejuarão.”(Mt 9,15).

Outros: Mt 17,20; At 27,9.33…

18. Celibato sacerdotal decretado por Gregório VIII (Hildebrando) – em 1079.

No link: http://caiafarsa.wordpress.com/celibato-e-biblico/

19. Inquisição, instituída pelo Concílio de Verona – em 1184.

Inquisição – Caiafarsa: http://caiafarsa.wordpress.com/inquisicao-cai-a-farsa/

Inquisição Protestante: http://caiafarsa.wordpress.com/a-inquisicao-protestante/

20. Venda de indulgências – em 1190.

A lenda da venda das Indulgencias, acesse: http://caiafarsa.wordpress.com/a-lenda-da-%E2%80%9Cvenda-de-indulgencias%E2%80%9D-2/

21. Transubstanciação, proclamada pelo papa Inocêncio III – em 1215.

Mentira refutada em: http://caiafarsa.wordpress.com/em-830-e-inventada-a-transubstanciacao/

22. Confissão auricular de pecados, ao sacerdote em lugar de Deus, instituída por Inocêncio, no Concílio de Latrão – em 1215.

Confissão na bíblia: http://igrejamilitante.wordpress.com/2010/11/22/a-biblia-ensina-que-devemos-nos-confessar-a-um-padre/

Isso sempre esteve presente na história da Igreja, Vejamos o testemunho dos Cristãos Primitivos:

“Dizem eles [os hereges novacianos], porém, que prestam reverência ao Senhor, o único a quem reservam o poder de remir os crimes. Pelo contrário, ninguém lhe faz maior injúria do que aqueles que querem anular seus mandamentos, rejeitar o encargo que lhes foi confiado. Pois se o próprio Senhor Jesus diz em seu Evangelho: ‘Recebei o Espírito Santo, e a quem perdoardes os pecados, ser-lhe-ão perdoados, e a quem os retiverdes, ser-lhe-ão retidos'(Jô 20,22-23). Quem é que o honra mais: aquele que obedece a seus mandamentos ou aquele que resiste a eles?” (Santo Ambrósio de Milão, Sobre a Penitência 2,6. 370 d.C.)

“Considera também o seguinte: quem recebe o Espírito Santo, recebe o poder de desligar e ligar pecados. Pois assim está escrito: ‘Recebei o Espírito Santo, e a quem perdoardes os pecados, ser-lhe-ão perdoados, e a quem os retiverdes, ser-lhe-ão retidos'(Jô 20,22-23). Portanto, quem não pode desligar o pecado, não tem o Espírito Santo. Com efeito, é um dom do Espírito Santo a função do sacerdote; por outro lado, há um direito do Espírito Santo no fato de desligar e ligar os crimes. Como, pois, reivindicam os novacianos o dom daquele cujo direito e poder não reconhecem?” (Santo Ambrósio de Milão, Sobre a Penitência 2,8. 370 d.C.)

“Porém Deus não faz distinção; Ele prometeu sua misericórdia a todos e deu permissão de perdoar a seus sacerdotes, sem uma única exceção.” (Santo Ambrósio de Milão, Sobre a Penitência 3,10. 370 d.C.)

“Que sociedade podem então ter contigo [Jesus] estes que não aceitam as chaves do Reino (cf. Mt 16,19), ao negarem que devem perdoar os pecados?” (Santo Ambrósio de Milão, Sobre a Penitência 7,32. 370 d.C.)

“É certamente isto que eles [os novacianos] confessam a seu próprio respeito e com razão; de fato, não podem ter a herança de Pedro aqueles que não tem a cátedra de Pedro, a qual despedaçam com uma ímpia divisão. Contudo, é sem razão que negam também que na Igreja os pecados possam ser perdoados.” (Santo Ambrósio de Milão, Sobre a Penitência 7,33. 370 d.C.)

23. Proibido acesso dos leigos à Bíblia, incluída no índice de livros proibidos pelo Concílio de Valença – em 1229.

Mentira desmascara no link: http://caiafarsa.wordpress.com/igreja-catolica-proibe-a-leitura-da-biblia/

Sobre o concilio: http://caiafarsa.wordpress.com/o-concilio-de-toulouse-proibiu-a-biblia/

24. Dogma do purgatório, proclamado pelo Concílio de Florença – em 1439.

Calúnia desmascarada em: http://caiafarsa.wordpress.com/purgatorio-503-o-purgatorio-comeca-a-existir/

25. Confirmação da doutrina dos Sete Sacramentos – em 1439.

Todos bíblicos e muito anteriores a data citada: http://www.catequisar.com.br/texto/materia/especial/sacramento/05.htm

26. Ave Maria (parte da última metade foi acrescentada 50 anos depois, e aprovada pelo papa Sixto V no final do século 16) – em 1508.

A Oração da Ave Maria é bíblica:

(Ave) Maria , cheia de graça (Lc 1 ,28). O Senhor é convosco (Lc 1, 30). Bendita sois vós entre as mulheres e bendito o fruto do teu ventre (Lc, 1, 42), Jesus (precisa de citação de versiculo para o nome de Jesus?).

Santa Maria Mãe de Deus (Lc 1, 43). Rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém. (Maria intercede por nós como fez nas bodas de cana).

27. Tradição, declarada, pelo Concílio de Trento, como autoridade igual à da Bíblia– em 1545.

“Em nome de Nosso Senhor, Jesus Cristo, mandamos que vos afasteis de todo irmão que se entrega à preguiça e não segue a tradição que de nós recebestes” (2 Tm 3,6).

“Tu, pois, meu filho, sê forte na graça de Cristo, e o que de mim ouviste perante muita testemunha confia-o a homens fiéis capazes de ensinar a outros” (2 Tm. 1-2).

Eis aqui a tradição oral.

Nem tudo está na Bíblia:  “Há ainda muitas coisas feitas por Jesus, as quais, se se escrevessem uma por uma, creio que este mundo não poderia conter os livros que se deveriam escrever” (Jo 21,25).

S. Paulo: “Irmãos, ficai firmes e conservai as tradições que aprendestes, quer por palavra, quer por escrita nossa” (2 Tess 2,15).

E como ficam os protestantes sem a tradição e sem a Igreja?

Não consta em nenhum documento que a Igreja tenha feito isso apenas em 1545, muito antes todos os Cristãos já acreditavam na Tradiçao apostólica. Inclusive Santo Atanasio: “Ainda que os Católicos fieis a Tradição se reduzam a um punhado, eles são a verdadeira Igreja de Cristo.” (296 d.C – 373 d.C).

28. Livros apócrifos foram acrescentados à Bíblia, pelo Concílio de Trento – em 1546.

Apócrifos na bíblia? http://caiafarsa.wordpress.com/apocrifos-na-biblia/

Apócrifos ou canônicos? http://caiafarsa.wordpress.com/apocrifos-ou-canonicos/

Baruc é apócrifo? http://caiafarsa.wordpress.com/baruc-e-apocrifo/

29. Proclamada a Imaculada Conceição da Virgem Maria, pelo papa Pio IX – em 1854.

Quando a Igreja proclama um dogma, isso não significa que antes dele ser proclamado ele  não existia. Os Católicos acreditavam e tinham sua fé alicerçada em Maria, e o Papa proclama como dogma. Quando alguém ousa negar esta verdade, ela precisa ser ratificada, pra ninguém poder negar, então, mesmo que todos já cressem em determinado ensinamento, o Papa apenas o declara como dogma pra ninguém ousar negar tal ensinamento apostólico, e assim foi com a Imaculada conceição e assim é com todas as datas aqui citadas pelos hereges.

Há 150 anos em Lourdes, na França, Nossa Senhora apareceu para Santa Bernadette. Era o ano de 1858. Em 1854 o Papa Pio XI tinha proclamado solenemente o dogma da Imaculada Conceição de Maria.

S. Tiago Menor, o qual realizou o esquema da liturgia da Santa Missa, prescreve a seguinte leitura, após ler uns passos do antigo e do novo testamento, e de umas orações: “Fazemos memória de nossa Santíssima, Imaculada, e gloriosíssima Senhora Maria, Mãe de Deus e sempre Virgem”.

O santo Apóstolo não se limita a isso, mas torna a sua fé mais expressiva ainda. Após a consagração e umas preces, ele faz dizer ao Celebrante: “Prestemos homenagem, principalmente, a Nossa Senhora, a Santíssima, Imaculada, abençoada acima de todas as criaturas, a gloriosíssima Mãe de Deus, sempre Virgem Maria. E os cantores respondem: É verdadeiramente digno que nós vos proclamemos bem-aventurada e em toda linha irrepreensível, Mãe de Nosso Deus, mais digna que os querubins, mais digna de glória que os serafins; a vós que destes à luz o Verbo divino, sem perder a vossa integridade perfeita, nós glorificamos como Mãe de Deus” (S. jacob in Liturgia sua).

O evangelista S. Marcos, na Liturgia que deixou às igrejas do Egito, serve-se de expressões semelhantes: “Lembremo-nos, sobretudo, da Santíssima, intemerata e bendita Senhora Nossa, a Mãe de Deus e sempre Virgem Maria”.

Mais provas no link: http://www.lepanto.com.br/catolicismo/doutrina-catolica/a-imaculada-conceicao/

30. Silabo de erros, proclamado pelo papa Pio IX e ratificado pelo Concílio Vaticano, condenando a liberdade de culto, de consciência, de pregação, de imprensa e os descobrimentos científicos que são desaprovados pela Igreja Católica Romana, sustentando a autoridade temporal do papa sobre todos os governantes civis – em 1864.

Igreja Católica, Mãe da civilização moderna: http://caiafarsa.wordpress.com/igreja-catolica-mae-da-civilizacao-moderna/

A Igreja e o Avanço científico: http://caiafarsa.wordpress.com/igreja-catolica-e-o-avanco-cientifico/

Quanto à data de Pio IX, nada consta de verídico, apenas mentiras. Como vocês podem ver nos links acima, a Igreja NUNCA condenou a ciência, muito pelo contrário, a ciência nasceu dentro da Igreja.

31. Proclamada, pelo Concílio Vaticano, a infalibilidade papal em matéria de fé e de moral – em 1870.

No link: http://caiafarsa.wordpress.com/1870-papa-e-declarado-infalivel/

32. Assunção da Virgem Maria (ascensão corporal ao Céu, pouco depois de sua morte), proclamada por Pio XII – em 1950.

Idem ao item 29 quanto a instituição dogmática. Em primeiro lugar precisamos distinguir: “Ascensão” é de Jesus. A elevação de Maria ao Céu chama-se: “Assunção”.

O Espírito Santo inspirou a Igreja, conforme promessa de Jesus em Jo 14,16. É mais do que lógico, pois ela é IMACULADA = CHEIA DE GRAÇA – conf. Lc 1,28.

A Assunção de Maria aos céus é uma verdade sempre crida em toda a caminhada da Igreja. Têm fundamento bíblico, pois aquela que é “Cheia de Graça”(Lc 1,28) não poderia experimentar a corrupção. O Salário do pecado é a morte. Jesus morreu por nossos pecados, pois não possui próprios, mas seu corpo não experimentou a corrupção. Maria também não teve pecado (sua concepção foi imaculada), então seu corpo, como o do seu Filho não experimentou a corrupção.

A solene proclamação do dogma foi feita pelo Papa Pio XII, na Bula “Munificentissimus Deus”, de 01.11.1950:

“Pronunciamos, declaramos e definimos ser dogma divinamente revelado que a Imaculada Mãe de Deus, sempre Virgem Maria, cumprindo o curso de sua vida terrena, foi assumpta em corpo e alma à gloria celeste”. (Dz. 2333).

“Roma locuta, causa finita”. É Pedro (o Papa) exercendo a autoridade recebida de Jesus para “ligar e desligar”(Mt 16,19) e “confirmar os irmãos”(Lc 22,32).

33. Proclamação de Maria como mãe da Igreja, pelo papa Paulo VI – em 1965.

Maria é Mãe de Cristo (Cabeça) é também mãe do Corpo (Igreja). Pois está escrito: “Ele é a Cabeça do corpo, da Igreja”(Cl 1,18). Logo, ela é também mãe do corpo que é a Igreja. É evidente que a IGREJA É ÚNICA: Pois não pode haver uma cabeça com mais de um corpo.
“Muitas igrejas” seria uma Cabeça com muitos corpos: seria um monstro (o monstro Protestante).

Fonte: Blog Cai a Farsa e Guia de Blogs Católicos

Anúncios

Sobre Alex C. Vasconcelos

Casado, 32 anos, pai de uma princesa, Advogado, Acólito na Paróquia do Divino Espírito Santo em Maceió/AL.
Esse post foi publicado em Formação e marcado , . Guardar link permanente.

2 respostas para As piores mentiras protestantes contra os católicos…

  1. Teresa disse:

    ola
    muito interessante sua postagem.
    mas veja, li a pouco tempo, um documentario conforme abaixo
    http://www.ihu.unisinos.br/noticias/516844-os-protestantes-alemaes-instam-ao-papa-retirar-a-excomunhao-a-lutero
    apenas um comentario, porque sua explanação é muito interessante e tem fundamento.
    UM forte abraço.
    Aguardo sua visita no meu blog.

    • Olá, Teresa. Muito obrigado pela visita e pelo comentário, mas o texto, como dito ao final, não é de minha autoria, e sim do blog “Cai a Farsa”… E, concordo com você, está muito bem fundamentado! Quanto a retirar a excomunhão do monge herege Lutero, não concordo, e não creio que isso seja admissível em Roma. Seria coadunar com uma heresia!!! Um grande abraço, e que Deus te abençoe!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s