Questões sobre a morte e o além – III

É este o terceiro texto de uma série sobre temas decisivos para a fé cristã. Afinal, não se é cristão porque Jesus falou belas palavras, contou poéticas e evocativas parábolas, ensinou moral eleva ou mesmo realizou milagres. Nada disso é definitivo para que se diga a Jesus, apostando a nossa vida: “Eu creio em Ti, em Ti aposto a minha vida!” Somos cristãos, fundamentalmente, por dois motivos: (1) cremos que Jesus veio de Deus e é quem dizia ser: Filho eterno do Pai, igual a Ele substancialmente: Deus vindo de Deus, Luz provinda da Luz! (2) cremos que Ele ressuscitou e tem poder sobre a Morte: Ele pode nos arrancar às garras tremendas da Morte e pode dá-nos uma Vida imperecível, totalmente superior a esta que agora possuímos, Vida que será participação da Vida do próprio Deus. Eis por que temos de enfrentar estas questões que venho apresentando nestes últimos textos. Pretendo fazer você, meu Leitor, perceber a consistência, coerência e seriedade da nossa esperança. Vale a pena apostar toda a existência em Cristo Senhor e Nele fundamentar nosso caminho neste mundo!

No texto passado, vimos que, para o cristão, morrer é partir para estar com Cristo: Ele é a Ressurreição; Ele é nossa Vida! Vejamos, agora, duas questões importantes: o que ressuscitará em mim e como e quando será essa ressurreição?

Primeiro: O que ressuscitará em mim? Comecemos deixando claro que, para a Sagrada Escritura, o homem é um todo, corpo e alma espiritual ou em outra linguagem, corpo, alma e espírito. Temos a dimensão material (nosso corpo) e aquela dimensão imaterial (a que denominamos alma). São dimensões, não pedaços nossos! Eu sou um todo: sou meu corpo e sou minha alma! É absolutamente contrário à Sagrada Escritura e a uma sã antropologia pensar o ser humano simplesmente como um espírito que “tem” um corpo, que está encarnado num corpo! Nada disso: sou corpo e alma! Dizer “espiritual”, na linguagem bíblica, é dizer aberto para Deus, sedento de Deus, capaz de comunhão com Ele. Pois bem, dizer que ressuscitarei, é afirmar que todo o meu ser, corpo e alma, é chamado à comunhão com o Cristo. Não é um pedaço de mim que vai ressuscitar, mas eu todo! Minha alma, sede de toda a minha vida inteligente, afetiva, sentimental e espiritual, será ressuscitada; também meu corpo, com o qual amei, chorei, sorri, criei relações, exprimi sentimentos, também será transfigurado!

Meu corpo ressuscitará: São Paulo diz de modo belíssimo: “Semeado corruptível, o corpo ressuscita incorruptível; semeado desprezível, ressuscita reluzente de glória; semeado na fraqueza, ressuscita cheio de força; semeado corpo psíquico, ressuscita corpo espiritual” (1Cor 15,42-44). É interessante que a ressurreição da carne sempre foi escândalo, já no novo Testamento: os atenienses zombaram de São Paulo quando este falou sobre ela: “Ao ouvirem falar da ressurreição dos mortos, alguns começaram a zombar, enquanto outros diziam: ‘A respeito disto, te ouviremos outra vez’” (At 17,32). Como os reencarnacionistas atuais e os espiritualistas de todas as épocas, os gregos aceitavam que a alma era imortal e “desencarnava”… Mas que também o corpo ressuscitasse, não aceitavam de modo algum! Até os cristãos de Corinto, na Grécia, pensavam que a ressurreição era somente espiritual. São Paulo os repreende duramente: “Se se proclama que Cristo ressuscitou dos mortos, como podem alguns dentre vós dizer que não há ressurreição dos mortos? Se não há ressurreição dos mortos, também Cristo não ressuscitou!” (1Cor 15,12s). É o mesmo engano dos reencarnacionistas e de todos os espiritualistas! Nós cremos que nosso corpo também ressuscitará.

Mas como isso é possível? Ele será destruído totalmente e, mais ainda, já nesta vida, meu corpo vai mudando, células vão morrendo e outras vão nascendo… Por um lado é meu corpo mas, por outro, é sempre e continuamente renovado… Então, como ressuscitará? O engano aqui é querer descrever o corpo da ressurreição! Também os coríntios perguntavam a São Paulo como isso seria possível: “Mas, dirá alguém, como ressuscitam os mortos?” E o Apóstolo respondia com firmeza e quase indignação: “Insensato!” (1Cor 15,36). Não se pode descrever o corpo da ressurreição, não se pode imaginar como será, pois o corpo da ressurreição não pertence mais a este mundo. Será o meu corpo, mas não mais do modo como eu agora o possuo; será minha matéria, mas totalmente transfigurada pelo Espírito do Ressuscitado: “Semeado corpo psíquico, ressuscita corpo espiritual” (1Cor 15,44). Um dos grandes enganos de muitos teólogos atuais é a preocupação em imaginar como será possível um corpo ressuscitado a partir do nosso pobre corpo mortal. É totalmente impossível qualquer descrição! Basta pensar no corpo do Ressuscitado: era Seu corpo, o mesmo que fora crucificado e os apóstolos conheciam tão bem: tinha as marcas da paixão (cf. Lc 24,40; Jo 20,27); e, no entanto, eles tinham dificuldades em reconhecer o Senhor, pois Seu corpo estava agora glorificado: “Depois disso, manifestou-Se em outra forma a dois deles” (Mc 16,12); “Seus olhos estavam impedidos de reconhecê-Lo. Ele ficou invisível diante deles” (Lc 24,16.31); “Já amanhecera, Jesus estava de pé, na praia, mas os discípulos não sabiam que era Jesus” (Jo 21,4). Então: é pela potência do Espírito do Ressuscitado que nosso corpo ressuscitará como o corpo do Cristo glorioso.

E a alma? Também ressuscita. É importante não confundir ressurreição com imortalidade! Os espitritualistas confundem as duas coisas! Dizer que a alma é imortal é dizer que ela, por ser imaterial, não pode ser desagregada, decomposta, destruída. Mas isso não quer dizer que tal alma tem a garantia de ser feliz. Muito pelo contrário: a alma, simplesmente entregue a si mesma teria as mesmas privações que já tem aqui: solidão, medo, tristeza, angústia, incompletude, etc. Afirmar que a alma ressuscita é afirmar que ela também – e não só o corpo! – será transfigurada e glorificada: nada mais de tristeza, solidão, saudade, angústia, medo… O mesmo Espírito Santo que ressuscitou Jesus será a vida de nossa alma: passaremos de uma vida simplesmente psíquica para uma vida espiritual (= espirituada)! Então, em todo o nosso ser, corpo e alma, estaremos com o Senhor, revestidos totalmente de sua glória, participando da sua ressurreição!

Mas, como e quando será essa ressurreição? Aí, somente no próximo texto…

 

Autor: Dom Henrique Soares da Costa, Bispo Auxiliar de Aracaju/SE

Fonte: Blog Visão Cristã

Anúncios

Sobre Alex C. Vasconcelos

Casado, 32 anos, pai de uma princesa, Advogado, Acólito na Paróquia do Divino Espírito Santo em Maceió/AL.
Esse post foi publicado em Formação e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s