Com que roupa eu vou?

Você vai a Missa olha pro Padre e se pergunta: porque ele escolheu vir com a roupa desta cor? Às vezes ele aparece até de rosa!!! Por que ele usa vestido?  Por que ele parece ter essa camisola por baixo de tudo? É… as cores e as vestes (chamadas de paramentos litúrgicos) são parte importante da liturgia!!!  E entender todos os símbolos litúrgicos é essencial para que participemos das celebrações com plena consciência de tudo o que a Igreja quer nos dizer.

Vamos falar, então, sobre a forma como os celebrantes se vestem para a Missa.

Vamos falar, em especial, sobre as cores litúrgicas, que são fortemente relacionadas com cada um dos períodos do ano litúrgico.  Seus significados nos conduzem diretamente para o tom com o qual devemos guiar as nossas vidas naquele momento. É uma mensagem muito importante! Por isso precisamos entender.

VESTES LITÚRGICAS

Antes de tudo… Você sabe o que um padre veste durante a celebração? Cara…  É muita coisa!

Vamos lá… acompanhe pela figura e não perca a conta!

Primeiro ele veste o amito, que serve basicamente para esconder a gola, em seguida se reveste de uma túnica ou de uma alva (que é uma túnica com babados – muito vista em filmes de época).  Depois, coloca a estola por cima, amarra tudo com o cíngulo e pra garantir que ele vai suar bastante, coloca a casula por cima de tudo!

Isso aí vale também para os diáconos, com duas diferenças: a estola é na diagonal, porque enquanto o padre faz a ligação do povo com Deus (ligação vertical), o diácono (cujo significado é servo) presta serviços à comunidade, ou seja, seu trabalho é na horizontal.  Além disso, ele usa a dalmática em vez da casula.

De todas estas vestes, as únicas que variam de cor são a casula e a estola.

CORES LITÚRGICAS

Agora pense um pouquinho em todas as cores que você já viu… Pensou? Hummmm… Vamos lá: roxo, preto, branco, verde, vermelho, azul, rosa e amarelo. São essas, não é? Duvido que você tenha visto alguma outra cor.

Vamos, então, aos significados:

Altar coberto com alfaias roxas durante o Advento

Roxo – É a cor que marca os momentos em que a Igreja propõe que nos voltemos para nós mesmos.  São períodos de oração, penitência e reflexão.  Não é por acaso, que é uma cor relacionada ao luto – que é justamente quando nos fechamos e nos dedicamos a refletir sobre a vida.  Bom, agora pense… em que momentos a Igreja nos pede essa atitude?  Nos tempos de preparação, ou nos momentos em que perdemos algum ente querido e precisamos refletir para nos mantermos firmes na fé.  Portanto, esta cor é utilizada no ADVENTO, na QUARESMA e em funerais.

Preto – Igual ao Roxo, mas praticamente ninguém usa.

Cardeal Camillo Ruini com a casula branca

Branco – É a consequência do caminho de reflexão, penitência e oração dos tempos de preparação.  É quando a fé, agora reforçada pelo período de preparação, leva a paz e a felicidade ao coração.  E isso só é possível porque chegamos a certeza da vitória do Senhor.  É a cor da Glória do Senhor. Portanto, é utilizada em todas as celebrações festivas do ano litúrgico, o que inclui o TEMPO DO NATAL, o TEMPO PASCAL e as FESTAS do TEMPO COMUM.

Papa Bento XVI com os paramentos verdes

Verde – No ano novo, quem bota camisa verde, diz que está esperançoso.  A palavra esperança vem de espera.  Só temos esperança quando é possível esperar algo.  E só podemos esperar algo, quando sabemos em quem colocar a nossa fé.  Assim, dentro do nosso dia a dia, onde tudo parece ser mera rotina, precisamos ter a certeza de que podemos esperar (ou seja, temos esperança) que o Senhor no alcance a cada instante.  Por isso, essa cor é usada no cotidiano da Igreja, ou seja, no TEMPO COMUM!

Cardeal Joseph Zen Ze Kiun com a casula vermelha

Vermelho – Tem dois significados: o fogo do Espírito Santo e o martírio.  Não… Paixão não entra.  Isso é coisa de gente encalhada no ano novo.  Portanto, usa-se o vermelho em todas as festas de SANTOS MÁRTIRES (inclusive a sexta-feira Santa – que é o martírio do próprio Cristo) e nas celebrações do ESPÍRITO SANTO (crisma e pentecostes).

Azul – É a cor de MARIA.  Não é propriamente uma cor litúrgica, e só pode ser utilizado em santuários Marianos, durante celebrações dedicadas à Nossa Senhora.  Simples assim.

Sacerdote celebrando a missa Tridentina com casula da cor Rosa

Rosa – É a que tem o significado mais bonito… Só pode ser utilizada em dois dias do ano: no penúltimo domingo do ADVENTO (chamado de Gaudete, que significa alegria) e no penúltimo domingo da QUARESMA (chamado de Lætare, que significa felicidade).  Estes dois dias são os penúltimos domingos de tempos de penitência e o rosa sinaliza que este período está quase chegando ao final.  Significa que estamos indo do tempo de reflexão para o tempo de festa.  Ou seja, que estamos indo do ROXO para o BRANCO.  O rosa é justamente o tom que está entre estas duas cores.

Amarelo – Assim como o azul, não é cor litúrgica.  Mas como assim? Eu juro que vi amarelo!!! E viu mesmo! Os tons amarelo, creme e dourado são apenas variações do BRANCO.

Pronto!  Acabamos de dar mais um passo em direção ao aprofundamento da fantástica liturgia católica!  E, novamente, percebemos que coisas que normalmente decoramos (e esquecemos) têm significado lógico.  Agora você não esquece mais!

 

Fonte e adaptação: O Catequista

Sobre Alex C. Vasconcelos

Casado, 32 anos, pai de uma princesa, Advogado, Acólito na Paróquia do Divino Espírito Santo em Maceió/AL.
Esse post foi publicado em Curiosidades, Formação e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s