Meditação das Sete Palavras (ou da agonia do Salvador)

Oração

Jesus na Cruz advoga;
dá ao ladrão; lega sua Mãe Maria;
queixa-se; a sede o afoga;
cumpre; entrega-se ao Pai, em agonia.
Ao Calvário temos que chegar
porque Cristo, nossa Luz,
hoje também nos quer falar
desde a ara de sua Cruz.

Virgem das dores e minha Mãe! Que eu, como Tu, acompanhe sempre teu Filho em vida, redenção e morte. E depois de glorificado na terra, glorifique-O por toda a eternidade, junto a Ele e junto a Ti. Peço-te isso por tua aflição e martírio, ao pé da Cruz. Assista-me sempre, especialmente neste último momento do combate cristão que abrirá a eternidade feliz, em companhia de teu Filho. Assim seja.

Senhor pequei, tende piedade e misericórdia de mim.

Primeira Palavra

“Pai, perdoa-lhes:  não sabem o que fazem” (Lc 23,34)

Embora tendo sido teu inimigo,
meu Jesus: como confesso,
roga por mim: pois, com isso,
certamente o perdão consigo.

Quando te ofendi, louco e sem calma,
não sabia o que eu fazia:
sede, Jesus, da minha alma,
e encomende-me ao Pai, todo dia.

Senhor e meu Deus, que por meu amor agonizaste na cruz para pagar com teu sacrifício a dívida de meus pecados, e abriu teus divinos lábios para me alcançar o perdão da divina justiça: tende misericórdia de todos os homens que estão agonizando e de mim quando me achar em igual situação: e pelos méritos de teu preciosíssimo Sangue derramado para minha salvação, dá-me um pesar tão intenso de meus pecados, que expire com ele no regaço de tua infinita misericórdia.

Senhor pequei, tende piedade e misericórdia de mim.

Segunda Palavra

“Hoje estarás comigo no Paraíso” (Lc 23, 43)

Voltado para Ti, o Bom Ladrão
com fé implora tua piedade:
eu também de minha maldade
peço-te, Senhor, perdão.
Se ao ladrão arrependido
dás um lugar junto consigo,
eu também, já sem receio
a salvação hoje anseio.

Senhor e meu Deus, que por meu amor agonizou na Cruz e com tanta generosidade correspondeu à fé do bom ladrão, quando no meio de tua humilhação redentora te reconheceu como Filho de Deus, até chegar a assegurar-lhe que naquele mesmo dia estaria contigo no Paraíso: tende piedade de todos os homens que estão para morrer, e de mim quando me encontrar no mesmo transe: e pelos méritos de teu sangue preciosíssimo, aviva em mim um espírito de fé tão firme e tão constante que não vacile diante das sugestões do inimigo, entregue-me à tua empresa redentora do mundo e possa alcançar cheio de méritos o prêmio de tua eterna companhia.

Senhor pequei, tende piedade e misericórdia de mim.

Terceira Palavra

“Eis o teu filho: eis a tua Mãe” (Jo 19, 26)

Jesus em seu testamento à sua Mãe Virgem dá:
e quem poderá compreender de Maria o sentimento?

Teu filho quero ser,
sede Tu minha Mãe, Senhora:
pois minha alma desde agora
com teu amor vai florescer.

Senhor e meu Deus, que por meu amor agonizou na Cruz e, aliviando-me de teus tormentos, deixaste-me com amor e compreensão tua Mãe dolorosa, para que em sua companhia acudisse eu sempre a Ti com maior confiança: tende misericórdia de todos os homens que lutam com as agonias e angústias da morte, e de mim quando me vir em igual momento; e pelo eterno martírio de tua mãe amantíssima, avive em meu coração uma firme esperança nos méritos infinitos de teu preciosíssimo sangue, até superar assim os riscos da eterna condenação, tantas vezes merecida por meus pecados.

Senhor pequei, tende piedade e misericórdia de mim.

Quarta Palavra

“Deus meu, Deus meu, por que me abandonaste?” (Mt 27, 46)

Desamparado se vê
de seu Pai o Filho amado,
maldito sempre o pecado
que disto a causa foi.

Quem queira consolar
a Jesus em sua dor,
diga na alma: Senhor,
pesa-me: não vou mais pecar.

Senhor e meu Deus, que por meu amor agonizou na Cruz e tormento após tormento, além de tantas dores no corpo, sofreu com invencível paciência a mais profunda aflição interior, o abandono de teu eterno Pai; tende piedade de todos os homens que estão agonizando, e de mim quando me encontre também em agonia; e pelos méritos de teu preciosíssimo sangue, conceda-me que sofra com paciência todos os sofrimentos, solidões e contradições de uma vida a teu serviço, entre meus irmãos de todo o mundo, para que sempre unido a Ti em meu combate até o fim, compartilhe contigo, bem perto de Ti, teu triunfo eterno.

Senhor pequei, tende piedade e misericórdia de mim.

Quinta Palavra

“Tenho sede” (Jo 19, 28)

Sede, o Senhor diz que tem;
para poder mitigar a sede que assim lhe faz falar,
dar-lhe lágrimas convém.

Dar-lhe fel, já se viu: prova-o, mas não o bebe.
Como posso almejar que Cristo prove o fel do meu pecar?

Senhor e meu Deus, que por meu amor agonizou na Cruz, e não contente com tantos opróbrios e tormentos, desejou padecer mais para que todos os homens se salvem, já que só assim ficará saciada, em teu divino Coração, a sede de almas; tende piedade de todos os homens que estão agonizando e de mim quando chegar a essa mesma hora; e pelos méritos de teu preciosíssimo sangue, conceda-me tal ardor de caridade para contigo e para com tua obra redentora universal, que só se aplaque com o desejo de me unir a Ti por toda a eternidade.

Senhor pequei, tende piedade e misericórdia de mim.

Sexta Palavra

“Está consumado” (Jo 19,30)

Com firme voz anunciou Jesus, ensangüentado,
que do homem e do pecado
a redenção consumou.

E cumprida sua missão,
Cristo já pode morrer,
e a mim abrir seu coração
para em seu peito viver.

Senhor e meu Deus, que por meu amor agonizou na Cruz, e do alto de seu amor, e de verdade, proclamaste que já estava concluída a obra da redenção, para que o homem, filho da ira e da perdição, fosse filho e herdeiro de Deus; tende piedade de todos os homens que estão agonizando, e de mim quando me achar nesses instantes; e pelos méritos de teu preciosíssimo sangue, faze que em minha entrega à obra salvadora de Deus no mundo, cumpra minha missão sobre a terra, e ao final de minha vida, possa tornar realidade em mim o diálogo desta correspondência amorosa: Tu não pudeste fazer mais por mim; eu, embora a distância infinita, tampouco pude fazer mais por Ti.

Senhor pequei, tende piedade e misericórdia de mim.

Sétima Palavra

“Pai, em tuas mãos entrego meu espírito.” (Lc 23, 46)

A seu eterno Pai, já o espírito encomenda;
se minha vida não se emenda,
em que mãos parará?

Nas tuas, a partir de agora,
minha alma ponho, meu Jesus;
vou guardá-la junto à Cruz                       

para minha última hora.

Senhor e meu Deus, que por meu amor agonizou na Cruz e aceitou a vontade de teu eterno Pai, resignando em suas mãos teu espírito, para inclinar depois a cabeça e morrer; tende piedade de todos os homens que sofrem as dores da agonia, e de mim quando chegar esse teu chamado; e pelos méritos de teu preciosíssimo sangue concede-me que te ofereça com amor o sacrifício de minha vida em reparação de meus pecados e faltas e uma perfeita conformidade com tua divina vontade para viver e morrer como melhor te agrade, sempre com minha alma em tuas mãos.

Senhor pequei, tende piedade e misericórdia de mim.

Oração Final

1 Pai Nosso
1 Ave Maria
1 Glória

 

Fonte: ACI Digital

Anúncios

Sobre Alex C. Vasconcelos

Casado, 32 anos, pai de uma princesa, Advogado, Acólito na Paróquia do Divino Espírito Santo em Maceió/AL.
Esse post foi publicado em Devoção, Formação. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s