Você sabe o que é o “Domingo Laetare”? E a “Rosa de Ouro”?

Todos sabemos que a Quaresma é um tempo penitencial, de oração, esmola e caridade, onde a cor litúrgica é o roxo. Todavia, temos, no decorrer deste tempo, um momento de júbilo, onde a cor litúrgica passa do roxo para o rosa. É o chamado “Domingo Laetare”, ou “Domingo da Alegria”, ou ainda “Domingo das Rosas”, que ocorrerá neste próximo domingo (18/03). Mas, você sabe o porque?

O IV Domingo da Quaresma recebe estes nomes porque assim começa, neste dia, a Antífona de Entrada da Eucaristia: Laetare, Ierusalem, et conventum facite omnes qui diligites eam; gaudete cum laetitia, qui in tristitia fuistis; ut exsultetis, et satiemini ab uberibus consolationis vestrae” (“Alegrai-vos, Jerusalém, reuni-vos, todos que a amais; regozijai-vos com alegria, vós que estivestes na tristeza; exultai e sereis saciados com a consolação que flui de seu seio”), conforme Isaías 66, 10-11.

A cor litúrgica passa do roxo para o rosa para representar a alegria pela proximidade da Páscoa.

Este domingo, como já foi dito, já foi chamado também de “Domingo das Rosas”, pois, na antiguidade, os cristãos costumavam se presentear com rosas. E é aqui que surge a “Rosa de Ouro”.

No século X surgiu, então, a tradição da “Bênção da Rosa”, ocasião em que o Santo Padre, no IV Domingo da Quaresma, ia do Palácio de Latrão à Basílica Estacional de Santa Cruz, em Jerusalém, levando na mão esquerda uma rosa de ouro que significava a alegria pela proximidade da Páscoa. Com a mão direita, o Papa abençoava a multidão. Regressando, processionalmente a cavalo, o Papa tinha sua montaria conduzida pelo prefeito de Roma. Ao chegar, presenteava o prefeito com a rosa, em reconhecimento pelos seus atos de respeito e homenagem.

Daí, então, teve início o costume de oferecer a Rosa de Ouro”, quando os papas transferiram-se para Avinhão, continuando depois que o papado retornou para Roma, inicialmente para personalidades e autoridades que mantinham uma relação saudável com a Santa Sé, como príncipes, imperadores, reis…

O príncipe condecorado recebia a Rosa de Ouro do Papa, em solene cerimônia, sendo acompanhado pelo Sacro Colégio dos Cardeais. No início do século XVII passou a ser ofertada somente a rainhas e princesas. Aos imperadores, reis e príncipes eram ofertado presentes mais apropriados, como espadas. Mas, se um monarca estivesse presente em Roma, no Domingo Laetare, ele poderia receber a Rosa de Ouro. O ofício de entregar a Rosa de Ouro aos que residiam fora de Roma foi dado, então, pelo Papa aos Cardeais Legados, aos núncios, aos inter-núncios e aos delegados apostólicos. Em 1895 foi criado um novo ofício, chamado de Portador da Rosa ou Zelador da Rosa, cargo não hereditário, destinado aos príncipes católicos, aos camareiros secretos de capa e espada ou a um membro da Prefeitura da Casa Pontifícia. Este cargo foi posteriormente extinto.

Em tempos mais recentes, depois do Concílio Vaticano II, a condecoração pontifícia passou a ser presente dos Papas à Nossa Senhora.

Tal tradição se dá até hoje, contudo, o Papa realiza atualmente a cerimônia da bênção da “Rosa de Ouro” no Vaticano, e o Brasil já recebeu a “Rosa de Ouro” por duas vezes, uma em 1967, com o Papa Paulo VI, e a última em 2007, com o Papa Bento XVI, ambas para a Basílica de Nossa Senhora Aparecida.

A flor dourada brilhando reflete a majestade de Cristo, com uma simbologia muito apropriada porque os profetas O chamaram “a flor do campo e o lírio dos vales”. Sua fragrância, de acordo com o Papa Leão XIII, “mostra o odor doce de Cristo que deve ser difundido extensamente por seus seguidores fiéis, e os espinhos e o matiz vermelho relembram a sua paixão” (Acta, vol. VI, 104).

Percebem quão apropriado é a cor litúrgica usada neste domingo e a simbologia da Rosa?

Por fim, este domingo é também o Domingo do Amor de Deus”: do amor narradoprimeira leitura retirada do Livro das Crônicas; do amor anunciadosegunda leitura; e do amor plenamente revelado na pessoa de Nosso Senhor Jesus Cristo: Evangelho.

Esta é, pois, a tônica deste domingo: alegrar-nos pela Páscoa de Cristo que se aproxima, levando-O para onde formos, como levamos as rosas para quem amamos, e proclamando-O como a verdadeira luz do mundo a nos guiar! Portanto, façamos o que nos pede São Paulo, em sua carta aos Filipenses: “ALEGRAI-VOS SEMPRE NO SENHOR. REPITO: ALEGRAI-VOS!” (Filipenses 4, 4).

Anúncios

Sobre Alex C. Vasconcelos

Casado, 32 anos, pai de uma princesa, Advogado, Acólito na Paróquia do Divino Espírito Santo em Maceió/AL.
Esse post foi publicado em Formação e marcado , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Você sabe o que é o “Domingo Laetare”? E a “Rosa de Ouro”?

  1. Giovana Freitas Junqueira disse:

    Deveria ser obrigado neste dia,todos os padres fazer uma homilia referente ao domingo Laetare ou domingos da rosas, e por que os paramentos passam a ser rosa.
    Fui presenteada com o missal do mosteiro São Bento,pelo meu sogro,do ano 1945 do qual fiquei informada do dia das rosas.Resolvi pesquizar,fiquei maravilhada tamanha riqueza de presente ofertado pelos Papas.
    LINDO DEMAIS!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s