Maceioenses celebram padroeira da cidade

Nossa Senhora dos Prazeres

Na tarde deste sábado (27) as ruas do Centro de Maceió se encheram com pessoas de várias partes da cidade para a procissão de Nossa Senhora dos Prazeres. Com rosas na mão e pés descalços os católicos demonstraram a sua fé.

As pastorais e movimentos estavam presentes e ajudaram durante o trajeto que percorreu as principais ruas do Comércio. A senhora Luzia Rosa, 52, participou todas as noites do novenário e explicou a sua devoção pela padroeira. “Quando era pequena vinha com minha mãe e meu pai e hoje estou aqui com meus filhos e netos, agradecendo as graças que recebo dos ceús”, disse.

O Arcebispo de Maceió, D. Antonio Muniz, destacou a importância da data para a cidade. “Em uma época em que os valores estão sumindo, conseguir reunir uma multidão dessa é mostrar que a Igreja continua viva e forte”, explicou.

Chegando a Praça dos Martírios, os sinos recepecionavam a preregrinação que trazia bandeiras de movimentos, seminaristas e parte do clero. No fim foi celebrada a Santa Missa.

Festa da Padroeira de Maceió

“Defendei-nos, Ó Virgem querida, sustentai-nos, ó Mãe do Prazeres.”

Nos dias 17 a 27 de setembro A Arquidiocese de Maceió e os maceioenses  celebraram jubilosamente a Festa de  Senhora dos Prazeres. A programação foi marcada por missas diárias às 6h seguida de um café ofertado aos moradores de rua da comunidade. Às 12h foi rezada oração do ângelus, seguido do ofício de Nossa Senhora com a Comunidade Doce Mãe de Deus. Às 15h, uma segunda missa foi celebrada com a participação dos setores e áreas pastorais da Arquidiocese. Diariamente às 18h foi rezado o santo rosário e às 19h30 a missa do novenário com a participação de bispos alagoanos e outros convidado.

Na primeira noite do novenário, presidiu a celebração Dom Edvaldo Gonçalves Amaral, arcebispo emérito de Maceió, em noite dedicada aos movimentos leigos. Dom Edvaldo refletiu a relação de Maria com a nossa vida, mostrando que o cristianismo é “um encontro com a pessoa que dá a vida um novo horizonte (…) um encontro que se dá por Maria e por Maria esse encontro acontece.”

No segundo dia, Dom Henrique Soares, bispo auxiliar de Aracaju, presidiu a celebração na noite das paróquias do da área pastoral do Centro e das Novas Comunidades. Dom Henrique ressaltou a mudança dos tempos que influenciam o povo e a tradição religiosa dos maceioenses. Uma mudança acompanhada por Nossa Senhora dos Prazeres que segue venerada por seu povo, quantos “agostos” tenham na história do nosso povo. Ao final, Dom Henrique destacou a presença das Novas Comunidades como “verdadeira primavera da Igreja”, que exprimem em forma de carisma o ideal de Cristo no tempo atual. Exortou-as a permanecerem fiéis a Igreja e unidas ao pastoreio do seu Pastor.

No terceiro dia, D. Francisco Falcão, bispo auxiliar do ordinariado Militar do Brasil, celebrou para os movimentos e grupos de família. Sua homilia foi uma explicação do Dogma da Assunção de Nossa Senhora, mostrando a relação da dignidade mariana em relação à maternidade Divina. Esse foi o caminho que levou a Igreja proclamar a Assunção mariana, já que seu corpo não maculado pelo pecado, não poderia sofrer a degradação dos que foram corrompidos.

No quarto dia, Dom Jorge Tobias de Freitas, bispo emérito de Nazaré – PE celebrou no dia da Festa da Assunção de Nossa Senhora para os Diáconos, seminaristas, vocacionados, vocacionadas  e  e candidatos ao diaconato permanentes e os seus familiares. Em sua homilia, Dom Tobias refletiu sobre difusão da Boa Nova de Cristo nos tempos modernos e como Ela tem persuadido os cristãos de hoje.

Na quinta noite do novenário, o mais novo bispo alagoano, Dom Rosalvo Cordeiro de Lima, auxiliar de Fortaleza, presidiu a Celebração na noite da Renovação Carismática Católica e área Pastoral do Setor Atlântico de Maceió. Na Festa de Nossa Senhora Rainha, sua palavras enalteceram a força da palavra de Deus, que encarnada, impulsionou o coração de Maria a viver a pobreza ”que se deve escolher” e não pobreza “que se deve combater”

Dom José Palmeira Lessa, alagoano da cidade de Coruripe e arcebispo de Aracaju, celebrou no 6º dia do novenário da festa de Nossa Senhora dos Prazeres. Ele falou da liberdade e da nossa opção de não viver uma vida “nossa” e sem Deus, o que leva o homem a destruição. Precisamos observar o exemplo de Maria que disse: “Faça-se em mim segundo a tua Palavra”. Quando o coração do homem não é iluminado e não está guiada pela palavra de Deus se torna doente e caminha para a desgraça, fechado em um vazio pessoal em meio a uma noite escura pessoal. Dom Lessa agradeceu o convite feito por D. Muniz e externou sua satisfação em celebrar pela primeira vez, junto aos seus conterrâneos na Catedral de Maceió.

No sétimo dia do novenário, Dom Muniz presidiu a celebração eucarística na noite liderada pelo setor lagoa da área pastoral Maceió e Santuário da Divina Misericórdia João Paulo II e Irmã Dulce. Foi à noite de refletir a caridade presente na primeira carta de São Paulo aos Coríntios: “a caridade nunca acabará”. Dom Muniz aproveitou para falar e fazer um balanço das obras sociais mantidas pela Arquidiocese com a ajuda do povo de Deus. Nelas encontramos a presença da “caridade” em uma Igreja conhecida como missionária e samaritana.

Dom Bernardino Marchió, bispo da diocese de Caruaru-PE, presidiu a celebração no oitavo dia do novenário para os movimentos e grupos jovens da arquidiocese. Dom Dino, como é conhecido, aproveitou o trecho do tema: “Queridos jovens não tenhais medo de Cristo!”, para relatar sua experiência com a juventude em Madri, durante a Jornada Mundial da juventude com o papa Bento XVI.

No nono dia do Novenário, Dom Dulcênio Fontes de Matos, bispo de Palmeira dos Índios, pregador oficial da festa, presidiu a celebração na noite da Irmandade do SS Sacramento, Apostolado da Oração, Comércio e Indústria. Sua homilia abordou o tema proposto: “Virgem da escuta que vive em plena sintonia com a Palavra divina…” para falar do silêncio de Maria.

No dia da festa Dom Antônio Muniz Fernandes presidiu a solene celebração da Festa de Nossa Senhora dos Prazeres com a homilia proferida por Dom Dulcênio Matos. Ao Final, após os avisos Dom Muniz agradeceu a participação dos bispos alagoanos que celebraram, anunciando que no antigo arcebispado será inaugurado o memorial dos bispos de Alagoas e uma escola de belas artes arquidiocesana até o final do ano.

Fonte: Arquidiocese de Maceió

Anúncios

Sobre Alex C. Vasconcelos

Casado, 32 anos, pai de uma princesa, Advogado, Acólito na Paróquia do Divino Espírito Santo em Maceió/AL.
Esse post foi publicado em Devoção, Notícias. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s